LAVAR O PRENSADO – REDUÇÃO DE DANOS

Salve família! Mais um post sobre redução de danos ein! No último, falamos sobre o uso de piteiras. Caso não tenha visto, só clicar aqui.

Hoje falaremos sobre ele, o famoso prensado! Infelizmente a realidade da grande maioria dos maconhistas brasileiros é essa. Uma ganja de baixa qualidade e cheia de substâncias indesejadas e nocivas à saúde.

Primeiramente, por que existe e o que é o prensado?

Prensado comumente encontrado no Brasil

Isso tudo ocorre por conta do proibicionismo existente em nosso país. Ou seja, a comercialização da maconha, assim como outras substâncias, é considerada uma atividade criminosa (óbvio kk). Então, como esse mercado é irregular, não existe um controle de qualidade. A fim de obter uma lucratividade enorme e com pouca demanda de trabalho, as plantações destinadas à produção dos famosos prensados são feitas sem cuidado algum, o que faz com que a qualidade das flores seja afetadas.

Para facilitar o seu transporte e armazenamento as mesmas são prensadas. Nesse processo são prensadas juntamente aos galhos, sementes, plantas, terra e até insetos. Além disso, elas não são secadas, contendo muita umidade. Como durante todo o processo de estocagem e transporte existe uma quantidade de calor mais elevada, esse conjunto de fatores faz com que o processo de decomposição e a formação de mofo ocorram. Tendo como produto da decomposição a amônia e acetatos. Por isso a maioria dos prensados apresentam cheiro e gosto desagradáveis.

Por que lavar?

Acho que já ficou meio óbvia a resposta para essa pergunta, né? Além de retirar essas substâncias indesejadas que são prejudiciais à saúde, a lavagem faz com que o sabor da ganja melhore.

Você deve estar se perguntando “mas isso não faz chapar menos?”. A resposta é NÃO! Os canabinóides são substâncias lipossolúveis, ou seja, só são solúveis em gorduras, como manteigas e óleos, portanto a água não os retém. Como o THC (princípio ativo da maconha) é um canabinóide, também não se solubiliza na água.

Como lavar?

Agora que você já entendeu os motivos de lavar o prensadinho bora falar sobre o processo. Uma fonte muito boa de redução de danos relacionada ao uso da canabis é o blog da Girls in Green. As minas são brabas! Muito conhecimento e informação envolvido. Inclusive são uma das nossas principais referências para a escrita dos blogs.

Enfim, esse tutorial do processo de lavagem e secagem foi retirado do blog delas e é super maneiro e simples de ser feito.

Processo de lavagem

“O passo a passo é bem simples:

  • Antes de começar, tenha em mente que é necessário controlar a temperatura da água – afinal, não queremos comprometer a erva. Para isso, procure um termômetro de cozinha, e mantenha a água entre 75 e 80ºC. A quantidade de água deve ser suficiente para cobrir a erva.
  • Coloque a cannabis em um prato ou pote de vidro, e despeje a água quente delicadamente sobre ela. Você já vai conseguir ver os camarões se soltando e se hidratando. 
  • Você pode repetir esse processo até três vezes, até achar que ela está suficientemente limpa.
  • Depois de lavar, separe a maconha das impurezas soltas pela água. Pegue todos os camarões da erva e coloque em uma peneira; em seguida, aperte delicadamente para tirar o excesso de água.”

Como secar?

Processo de secagem

“Essa é a hora de secar bem nossa erva para evitar o mofo. Você pode fazer isso naturalmente, deixando ela em uma superfície que faça absorção (pode ser cartolina, papel toalha ou até mesmo um pano), em um ambiente arejado, com temperatura amena e baixa umidade até que ela seque totalmente. Caso queira dar uma apressada nas coisas, coloque um papel toalha por baixo e outro por cima da maconha, e coloque um objeto mais pesado em cima. Troque os papéis sempre que achar necessário, até ela ter se livrado de todo o resto de água.”

Dicas das minas do Girls in Green:

  • Depois de totalmente seca, pode consumir ou guardar em um pote fechado hermeticamente para conservar bem a cannabis. 
  • Lave seu prensado em um dia que não esteja tão úmido. Assim, ele vai secar mais rápido e tem menos chances de mofar!
  • Cuidado para não guardar as FLORZINES MOLHADAS, podem sair cogumelos dela.
  • Como já falamos ali em cima, embora algumas pessoas não saibam, o próprio cheiro de amônia pode ser um indicativo de que sua cannabis está mofada. Por isso, todo cuidado é pouco na secagem e no armazenamento!
  • Achou sementinhas no meio do prensado? Você pode cultivá-las!
  • O melhor local para guardar sua cannabis é em um recipiente escuro, hermeticamente fechado – de preferência em aço inoxidável ou vidro. Assim, sua erva não vai ficar exposta ao ar externo e nem à luz, que podem ir diminuindo a concentração de THC com o passar do tempo.
  • Quando a cannabis já está mofada, não há o que fazer: jogue fora! Fumar ou utilizá-la de qualquer outra forma nessa condição pode trazer muitos danos para o seu pulmão, desde alergias respiratórias até infecções fúngicas possivelmente fatais (sim, é BEM bad).

Conclusão

Tenho certeza de que agora você vai ver o prensadinho com outros olhos hahaha é incrível a transformação que ocorre daquele “bloco” estranho para uma florzinha bonitinha. Com essas dicas e “receitinhas” tops não tem erro e com certeza vale a pena fazer. Então bora cuidar da saúde família!

Sabia que a piteira é uma das melhores formas de reduzir os danos enquanto você fuma?

É pensando nisso que o THClub tem piteiras de vidro para reduzir os danos durante a sua sesh!

CIÊNCIA E MACONHA – CARL SAGAN

A associação do uso de maconha com pessoas mal sucedidas já é comprovadamente um mito. Diversos empresários, cantores, cientistas e atletas bem sucedidos já afirmaram

Read More »

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.